Saúde terá recorde de recursos para 2018, afirma ministro

O ministro da Saúde, Gilberto Occhi, disse nesta quinta-feira (6) a parlamentares que em 2018 serão aplicados R$ 131,4 bilhões na área de saúde pública brasileira, um recorde para o setor e acima do piso constitucional de R$ 112 bilhões.

O ministro, que vai deixar o cargo no fim de dezembro, esteve nesta quinta na Comissão Mista de Orçamento (CMO) para prestar contas sobre indicadores da área nos dois primeiros quadrimestres do ano.

Gilberto Occhi afirmou ainda que o governo tem cumprido rigorosamente sua obrigação de transferência de recursos para estados e municípios. Até agosto, haviam sido repassados R$ 78 bilhões, disse.

Segundo ele, deputados e senadores também não têm do que reclamar, pois o governo já pagou R$ 4,1 bilhões dos R$ 5,3 bilhões de emendas parlamentares obrigatórias, um número positivo, principalmente levando-se em contra restrições do período eleitoral.

— Este ano de 2018 foi excepcional sob o aspecto de pagamento de emendas no mesmo exercício. Já empenhamos mais de 90% e já pagamos quase 80% das emendas empenhadas em 2018. É uma questão a ser comemorada. O governo cumpre no mesmo exercício pagamentos e empenhos das emendas dos parlamentares — afirmou.

Outras ações

O representante do Executivo também falou aos parlamentares sobre a contratação de profissionais para o Programa Mais Médicos. Ele citou ainda uma série de iniciativas consideradas importantes pelo ministério, como o aumento da cobertura vacinal depois de um período de queda dos indicadores de vacinação no país, a ampliação do serviço de terapia renal substitutiva (hemodiálise) e a realização de obras e aquisição de equipamentos para a aumento da rede de radioterapia.

— Estive com o presidente Temer em Roraima, onde não existia aparelho de radioterapia. A população precisava ir ao Amazonas para se tratar. Demos a ordem de serviço e nos próximos seis meses a obra estará concluída. Os moradores poderão finalmente ter um tratamento oncológico completo — afirmou.

O ministro destacou ainda o avanço da informatização no setor, permitindo a produção do prontuário eletrônico dos pacientes em mais de 20 unidades básicas de saúde. Além disso, foi lançado de modo experimental o aplicativo DigiSus, que permite ao cidadão agendar eletronicamente sua consulta.

Além de deputados, participou da audiência desta quinta-feira o senador Waldemir Moka (MDB-MS), relator da proposta de Lei Orçamentária para 2019.

Comentários