Cobras? Tubarões? Os animais mais mortíferos da Austrália são os cavalos

Depois dos cangurus e da Ópera de Sydney, a primeira coisa que vem à cabeça quando se pensa na Austrália talvez seja a perigosa fauna que habita ali. De tubarões a crocodilos gigantes, o país é lar de animais extremamente perigosos: de acordo com a Enciclopédia Britannica, das nove espécies de cobra mais venenosas do mundo, três (incluindo a primeira) são naturais de lá.

No entanto, um levantamento de 2017 do Australian Bureau of Statistics, a agência de estatísticas do governo australiano, analisou as causas de morte por animais no país e revelou algo curioso: apesar da fama, animais como os citados acima não eram os mais mortíferos. Esse posto pertence aos cavalos.

O relatório coletou dados de 2008 a 2017. Nele, cavalos, vacas e outros animais usados para transporte foram os responsáveis por 77 mortes. Em segundo lugar, aparecem o restante dos mamíferos (60) e, em terceiro, vespas, abelhas e marimbondos (27).

Os temidos tubarões (e outros animais marinhos) vêm logo atrás, com 26 casos fatais. Na sequência, estão as cobras e lagartos, com 23. Os crocodilos, com 17 mortes, ficam atrás até dos cachorros (22). Outros insetos, artrópodes (aranhas, escorpiões etc.) e ratos completam a lista.

Por mais perigosos que sejam, animais temidos por muita gente como esses raramente fazem vítimas fatais – o que acontece, geralmente, quando seu habitat é invadido. As cobras, por exemplo, matam 110 mil pessoas por ano no mundo, mas bichos como os mosquitos fazem quase sete vezes mais vítimas. Com os tubarões, a coisa é mais difícil ainda: é mais provável ser morto por uma máquina de snacks do que pelo rei dos mares.

Comentários